𝐃𝐢𝐚 𝐍𝐚𝐜𝐢𝐨𝐧𝐚𝐥 𝐝𝐞 𝐏𝐫𝐞𝐯𝐞𝐧çã𝐨 𝐞 𝐂𝐨𝐦𝐛𝐚𝐭𝐞 à 𝐇𝐢𝐩𝐞𝐫𝐭𝐞𝐧𝐬ã𝐨 𝐀𝐫𝐭𝐞𝐫𝐢𝐚𝐥 (𝟐𝟔/𝟎𝟒)

𝐃𝐢𝐚 𝐍𝐚𝐜𝐢𝐨𝐧𝐚𝐥 𝐝𝐞 𝐏𝐫𝐞𝐯𝐞𝐧çã𝐨 𝐞 𝐂𝐨𝐦𝐛𝐚𝐭𝐞 à 𝐇𝐢𝐩𝐞𝐫𝐭𝐞𝐧𝐬ã𝐨 𝐀𝐫𝐭𝐞𝐫𝐢𝐚𝐥 (𝟐𝟔/𝟎𝟒)
  • Post category:Saúde

Quatorze por nove. Dois números e um alerta que podem indicar hipertensão arterial. Mais conhecida como “pressão alta”, a doença crônica atinge mais de 38 milhões de pessoas no Brasil. É também um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de outras doenças, como cardiovasculares e renais. No Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, lembrado nesta segunda-feira (26/04), o Ministério da Saúde reforça os cuidados para os pacientes e a ideia de que a adoção de hábitos saudáveis é a chave para salvar vidas.

O diagnóstico deve ser baseado em duas aferições de pressão arterial por consulta em pelo menos duas idas ao médico. É uma condição de muitos fatores que geralmente não está associada a sintomas, mas sim pela elevação contínua da pressão. Indivíduos considerados hipertensos apresentam pressão igual ou maior que 14 por 9. Essa medição pode ser feita em qualquer Unidade Básica de Saúde (UBS) do Brasil – o Sistema Único de Saúde (SUS) é referência no atendimento para pacientes com doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), como é o caso da hipertensão, conforme revelou a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) 2019.

O SUS também oferece, de graça, tratamento, acompanhamento e medicamentos para controle da doença: em 2019, foram realizadas mais de 28 milhões de consultas na Atenção Primária e registradas 52 mil internações relacionadas à hipertensão.

Para reforçar esse cuidado na Atenção Primária, que é a porta de entrada do SUS, o Município de Dom Joaquim, por meio de contrato com CISAME ( Consórcio Intermunicipal do Médio Espinhaço) está oferecendo serviço de atendimento especializado com médico Cardiologista. Na data de hoje, Dr. Vitor está presente no Hospital Nossa Senhora das Graças, atendendo demanda agendada de consultas de usuários que aguardavam e necessitavam de consulta cardiológica. A Secretaria de Saúde de Dom Joaquim têm se emprenhado para atender o princípio de integralidade do SUS buscando garantir ao indivíduo uma assistência à saúde que transcenda a prática curativa, contemplando o indivíduo em todos os níveis de atenção e considerando o sujeito inserido em um contexto social, familiar e cultural.